ACSP confirma pagamento de R$ 1,8 trilhão em impostos antes da data prevista

A ACSP – “Associação Comercial de São Paulo”, informou que os cidadãos brasileiros chegaram a pagar R$ 1,8 trilhão de impostos neste ano. A divulgação ocorreu por volta das 17h do dia 2 de novembro, momento em que a associação registrou o volume de dinheiro pago em impostos. Segundo a associação, o montante de impostos pagos registrado neste ano foi atingido 26 dias antes do ocorrido no ano passado. O que mostra um crescimento surpreendente na quantidade de arrecadação tributária deste ano.

O valor atingido no dia da divulgação de R$ 1,8 trilhão é equivalente a todos os impostos pagos pelos brasileiros, além de taxas e outras contribuições realizadas no país desde o dia 1º de janeiro deste ano. O dinheiro arrecadado pela tributação é destinado aos cofres públicos da União, dos estados e dos municípios do país.

O presidente da ACSP, Alencar Burti, que também faz parte da Facesp – “Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo”, disse que os valores registrados na arrecadação tributária já estão acima da inflação. Segundo ele, com o cálculo de todos os gastos é possível afirmar que somente agora o ajuste fiscal começa a ser feito de verdade.

Segundo a associação, as expectativas são de que o Impostômetro irá atingir a marca de R$ 2,172 trilhões pagos pelos brasileiros em impostos até o final do ano. Se o valor se concretizar, a arrecadação tributária para este ano será maior que a registrada nos últimos anos.

Os valores pagos pelos brasileiros em impostos podem ser visualizados em tempo real pelo Impostômetro, um painel eletrônico que fica sediado na Rua Boa Vista, no centro da capital paulista.

Além disso, os brasileiros podem acompanhar os valores através da internet pela página oficial: www.impostometro.com.br. A ferramenta que foi criada através da parceria do IBPT – “Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário”, mostra os valores que os estados, os municípios e o país de um modo geral arrecadou em impostos e também estimas o que os governos poderão fazer com o dinheiro arrecadado.