Quinta edição da Black Friday aqui no Brasil registra aumento de reclamações

No dia 24 de novembro de 2017, a maioria das lojas físicas e virtuais, junto a diversas marcas de produtos e serviços, promoveram a quinta edição do dia de ofertas da Black Friday aqui no Brasil. Em relação a esse dia, também houve um aumento no número de reclamações feitas no site do Reclame Aqui, que registrou 3.503 reclamações de consumidores devido a ofertas duvidosas.

O número de reclamações devido a propaganda enganosa cresceu 17% este ano ao ser comparado com a edição de 2016. Em outras edições da Black Friday no Brasil já havia sido registrado queixas sobre a veracidade das ofertas e dos produtos oferecidos neste dias. Mas essas reclamações tinham sofrido redução a partir de 2014 de acordo com dados do site Reclame Aqui.

O site fez um levantamento das queixas realizadas por consumidores de todo o país entre 18h do dia 23 de novembro e 23h59 do dia 24 de novembro deste ano. O motivo que mais levaram os consumidores a fazer reclamações no site foram as propagandas enganosas, com 13,5% das reclamações durante este período de levantamento. Em segundo lugar vem as reclamações por problemas na finalização da compra, com 9,6% e em terceiro lugar, as divergências de valores observadas por estes consumidores responderam a 8,8% das reclamações visualizadas no site.

Segundo dados do site, as vendas realizadas neste dia representam um aumento em comparação com outras promoções realizadas durante o ano, mas ainda assim, houve uma queda em referência a outras edições da Black Friday, devido ao descrédito que os consumidores têm sentido em relação a seriedade da realização destas promoções aqui no Brasil.

“Sem os descontos surpreendentes que permitiriam comprar produtos cobiçados, a Black Friday apresentou baixas modestas, bem diferente do sonho americano que a inspirou. Mas já sem grandes expectativas, o consumidor voltou a comprar após dois anos do auge da crise, aproveitando para realizar compras planejadas e antecipar os presentes de Natal – só resta saber se os presentes chegarão a tempo da ceia, daqui a um mês”, explica o site.

As lojas que mais receberam reclamações no período de realização da Black Friday aqui no Brasil foram: Magazine Luiza, com 263 reclamações; Lojas Americanas, com 245 reclamações e a loja KaBum, com 173 reclamações. As Casas Bahia e o site Submarino aparecem logo em seguida com 126 e 124 reclamações respectivamente.

 

ACSP confirma pagamento de R$ 1,8 trilhão em impostos antes da data prevista

A ACSP – “Associação Comercial de São Paulo”, informou que os cidadãos brasileiros chegaram a pagar R$ 1,8 trilhão de impostos neste ano. A divulgação ocorreu por volta das 17h do dia 2 de novembro, momento em que a associação registrou o volume de dinheiro pago em impostos. Segundo a associação, o montante de impostos pagos registrado neste ano foi atingido 26 dias antes do ocorrido no ano passado. O que mostra um crescimento surpreendente na quantidade de arrecadação tributária deste ano.

O valor atingido no dia da divulgação de R$ 1,8 trilhão é equivalente a todos os impostos pagos pelos brasileiros, além de taxas e outras contribuições realizadas no país desde o dia 1º de janeiro deste ano. O dinheiro arrecadado pela tributação é destinado aos cofres públicos da União, dos estados e dos municípios do país.

O presidente da ACSP, Alencar Burti, que também faz parte da Facesp – “Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo”, disse que os valores registrados na arrecadação tributária já estão acima da inflação. Segundo ele, com o cálculo de todos os gastos é possível afirmar que somente agora o ajuste fiscal começa a ser feito de verdade.

Segundo a associação, as expectativas são de que o Impostômetro irá atingir a marca de R$ 2,172 trilhões pagos pelos brasileiros em impostos até o final do ano. Se o valor se concretizar, a arrecadação tributária para este ano será maior que a registrada nos últimos anos.

Os valores pagos pelos brasileiros em impostos podem ser visualizados em tempo real pelo Impostômetro, um painel eletrônico que fica sediado na Rua Boa Vista, no centro da capital paulista.

Além disso, os brasileiros podem acompanhar os valores através da internet pela página oficial: www.impostometro.com.br. A ferramenta que foi criada através da parceria do IBPT – “Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário”, mostra os valores que os estados, os municípios e o país de um modo geral arrecadou em impostos e também estimas o que os governos poderão fazer com o dinheiro arrecadado.

 

Novo corte na taxa Selic tornou-se bom e ruim para alguns investimentos

Um novo corte na taxa básica de juros, a Selic, foi anunciado pelo Copom – Comitê de Política Monetária, que reduziu a Selic para 7,5% ao ano no dia 25 de outubro de 2017. Essa redução segue conforme estava previsto pelo governo, que passou a realizar constantes cortes consecutivos na taxa de juros para conseguir controlar a inflação no país.

As consequências disso em relação a alguns investimentos tende a ser bom e ruim. No caso das cadernetas de poupanças, o retrospecto foi ruim, pois sempre que a Selic estiver abaixo do 8,5% a.a, os rendimentos da poupança são severamente afetados. Mas, em contrapartida a isso, outros investimentos tendem a renderem de forma a chamar a atenção. Assim são os investimentos em renda fixa, que seguem taxas pré-fixadas. Após vários cortes nas taxas de juros básica, não é mais novidade para ninguém esse 9º corte na taxa de juros realizado no dia 25 de outubro deste ano.

No começo dessa onda de cortes na taxa de juros básica em outubro de 2016, os investimentos realizados em renda fixa eram de fato rentáveis em termos de rendimentos, porém, os cortes continuaram seguindo em frente, e alguns investimentos já não são mais rentáveis mesmo se tratando de renda fixa. Então, qual seria um bom investimento para se fazer neste momento em que a Selic está em 7,5% ao ano?

A compra e venda de ações sem dúvidas é uma ótima opção neste momento de juros baixos para o país, que também se torna um bom investimento levando em conta outros índices econômicos importantes. O retrospecto disso pode ser observado no maior número de negócios registrados na Bovespa. O Ibovespa – índice que mede a quantidade de volume negociados na Bovespa – tem demonstrado crescimento em 2017.

As debêntures nunca perderam o seu ótimo patamar de bom investimento para se fazer, mesmo o país tendo passado por um longo período de crise econômica em três anos consecutivos. O que permite as debêntures serem boas opções de investimentos, é o fato de que o atual cenário de baixa inflação, juros baixos e bons índices econômicos, favorecem os investimentos realizados pelas empresas. Como as debêntures são alternativas de capital para as empresas e com um cenário de mais certezas do que incertezas, esse seria um momento bom para esse tipo de investimentos.

O Fundo multimercado também é bom para investimentos neste momento. Também é um excelente tipo de investimento voltado para investidores de perfil conservador, levando em conta que um gestor profissional irá cuidar de seus investimentos diretamente.