Conforme o planejado, BNDES transfere R$ 50 bilhões ao Tesouro Nacional em 2017

Uma transferência de R$ 17 bilhões foi realizada para o Tesouro Nacional. O valor transferido do BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – para o Tesouro Nacional, foi divulgado no dia 26 de outubro de 2017 e autorizado pelo atual presidente do BNDES, Paulo Rabello de Castro, pelo ministro do Planejamento, Dyogo Oliveiras e pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.

“A liquidação antecipada poderá ocorrer parcial ou totalmente sob a forma de títulos públicos. Independentemente da forma de pagamento, a Dívida Bruta do Governo Geral – DBGG será reduzida no exato montante liquidado pelo BNDES”, afirma o presidente da instituição.

O valor de R$ 33 bilhões já havia sido devolvido ao Tesouro Nacional em 2017, faltando R$ 17 bilhões para completar o planejamento de pagar R$ 50 bilhões da dívida este ano. O valor de R$ 17 bilhões liberados em outubro deste ano antecipa a parcela da dívida com a União.

“Esta antecipação não afeta a estrutura patrimonial do BNDES, nem sua capacidade de financiar projetos que irão garantir a retomada sólida do ritmo de crescimento da atividade econômica brasileira”, disse o presidente da instituição.

A antecipação de parcelas da dívida está sendo estudado já para o ano que vem com adicionais revisados em novas projeções de pagamento. “Tal antecipação terá reflexos importantes sobre a percepção dos agentes econômicos quanto à real capacidade do país em estabilizar o seu endividamento, elevando as expectativas destes em relação à economia e trazendo benefícios para todos os envolvidos na operação. O atual cenário é desafiador, exigindo medidas adicionais ao ajuste orçamentário em curso para garantir a estabilização da dívida pública no médio prazo”, explica o presidente da instituição.

Junto ao anúncio do pagamento da parcela da dívida ao Tesouro Nacional, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, também aproveitou para enfatizar a Reforma da Previdência e sua importância para o atual momento de retomada da economia do país. O ministro diz que a discussão e tramitação deste importante projeto deve ser retomada imediatamente este ano, após ter sido paralisado mediante as denúncias enfrentadas pelo presidente da República, Michel Temer, neste ano.