Pesquisa revela que aumentou o percentual de pais que poupam para os filhos

Uma pesquisa feita pela Boa Vista SCPC apontou que houve um aumento no número de pais que buscam guardar dinheiro para os filhos. O número saltou de 42% registrado no ano passado para 59% neste ano. A pesquisa foi realizada com um total de 1.060 pessoas em todo território nacional.

Os dados ainda indicam que 61% dos pais que guardam dinheiro para o futuro de seus filhos escolhem a poupança como forma de investimento. Cerca de 7% investe a quantia poupada em ações, fundos e CDB, o que significa um aumento de 3 pontos percentuais se for comparado com o percentual do ano passado. Ainda sobre os investimentos, a pesquisa apontou que 8% dos pais tem dinheiro aplicado em previdência privada e mais outros 6% possuem títulos de capitalização para o futuro dos filhos.

A pesquisa observou que 85% dos consumidores entrevistados consideram a educação financeira muito importante para a vida das crianças e dos adolescentes. Dentro desse percentual, cerca de 65% dos entrevistados afirmaram conversar e explicar noções básicas de finanças como o que é o dinheiro, como se ganha e para que ele serve. Mesmo sendo algo muito importante para as crianças, a pesquisa da Boa Vista identificou que apenas 3% das crianças brasileiras aprendem noções financeiras nas escolas.

Outro percentual apontado pela pesquisa é de que 32% dos pais entrevistados alegaram incentivar os filhos a economizar a mesada ou semanada que eles recebem. Segundo os pais, o valor dado aos filhos é passado com uma carga de responsabilidade para que os pequenos aprendam a lidar com o dinheiro de forma consciente.

Em média, a pesquisa revelou que 22% dos pais entrevistados possuem o hábito de dar dinheiro aos filhos como mesada ou semanada. Contudo, cerca de 96% desses pais que dão dinheiro aos filhos utilizam a quantia com algum gasto relacionado às crianças.

Em relação ao dinheiro dado aos filhos, cerca de 4% dos pais adotaram a modalidade de cartão pré-pago ou ainda o cartão de crédito adicional. Dentro desse pequeno percentual, cerca de 56% utilizam o cartão por ser uma ferramenta prática para organizar as despesas dos filhos, e outros 44% acreditam que o cartão possa servir como aprendizado de controle para os filhos.