Governo lança simulação em site para a compra de Tesouro Direto

 

O Tesouro Direto é uma forma de investimento a médio e longo prazo e pode ser investido por qualquer pessoa. A novidade é que agora as pessoas poderão simular os resultados da operação em busca da rentabilidade que o investimento dispõe. Os valores líquido e bruto mais as taxas de administração e os impostos inclusos, poderão ser bem analisados antes de realmente ser feito o investimento.

Muitas pessoas constantemente ouvem falar do Tesouro Direto, mas não procuram saber mais informações de como funciona e como investir. No dia 21 de setembro de 2017, o Tesouro Direto passou a ser simulado através do site do Tesouro Nacional. Para as pessoas que ainda não conhecem essa forma de investimento, essa é uma oportunidade ótima de procurar saber mais. Entender como o investimento funciona, quais são as suas formas mais rentáveis, as de médio e longo prazo. Quanto custa fazer um investimento mínimo, quais são as taxas e permanências que serão cobradas, todas as dúvidas poderão ser esclarecidas.

O Tesouro Direto é uma forma de investimento onde as pessoas compram títulos do Tesouro Nacional como uma forma de participar diretamente em investimentos do Ministério da Fazenda, e isso reflete diretamente na economia do Brasil. No site do Tesouro Nacional, as pessoas também poderão se inscreverem no curso do Tesouro Direto. Desde o dia 8 de setembro de 2017, estão sendo oferecidas 8 mil vagas para os interessados que desejarem aprender mais sobre investimento diretamente com economistas do governo.

O site trabalha com uma forma de algoritmo que busca visar várias formas de perfis de investidores, desde os mais ousados até os mais conservadores. Desta forma a política de recrutamento de investidores é dinâmica e objetiva para cada um prover da melhor forma de investimento disponível.

Após a pessoa ter passado pelo processo de perguntas do site e ter conhecido a melhor sugestão para o seu perfil, serão realizadas duas formas de simulação: quanto a pessoa poderá receber no término de um período de aportes pré-fixados e a quantia que ela terá que disponibilizar para essa empreitada. No fim de todo esse processo o investidor já saberá a estratégia que melhor se encaixa em seu perfil.

Essa novidade veio em meio a uma campanha lançada pelo Ministério da Fazenda chamada de “Transformação pelo conhecimento”, junto a Secretaria do Tesouro Nacional. O objetivo e capacitar o máximo de pessoas possível para que elas conheçam as formas de investimentos que estão disponíveis atualmente, como poupança, LCI/LCA, CDB, Fundo DI, entre outros, e possam somar para elas e para a economia do país.