Luiz Carlos Trabuco Cappi e a aquisição bilionária que aumentou a lucratividade do Bradesco

Luiz Carlos Trabuco Cappi foi nomeado presidente do Bradesco no mês de março de 2009, época em que muito se especulava acerca da liderança no segmento bancário. O executivo, entretanto, preferiu manter o foco na qualidade dos serviços que a companhia oferece aos clientes. No ano de 2015, uma transação de grande porte foi efetuada. Tratava-se da aquisição de outra instituição financeira por meio de uma negociação que aqueceu o setor.

O negócio de 5,2 bilhões de dólares foi considerado o maior do ano e consistiu na compra de uma filial, localizada em território nacional, de uma empresa concorrente. Dessa forma, a instituição conseguiu recobrar o fôlego para se estabelecer como líder face às demais companhias do ramo. Diversos produtos bancários foram valorizados após a aquisição da unidade, fazendo com que fossem mais comercializados do que nos demais bancos do mercado. Dentre os serviços mais procurados, destacaram-se depósitos, empréstimos e ativos. Além disso, foi o banco que abriu maior número de agências.

O presidente do Bradesco nasceu em Marília, no ano de 1951. Por coincidência, trata-se do mesmo local onde o banco abriu sua primeira agência. Formado pela Universidade de São Paulo (USP), o executivo viu nessa grande compra uma maneira de fazer com que a companhia crescesse no mercado. O negócio acabou por render a Luiz Carlos Trabuco Cappi o título de “Empreendedor do ano”, denominação concedida pela revista Dinheiro, que trata especificamente do segmento financeiro.

No Bradesco o executivo iniciou sua carreira com 18 anos e obedeceu à política da empresa no que se refere a passar por todos os níveis hierárquicos até que se atinja a presidência. Na gestão que realizou durante o período compreendido entre os anos de 2003 e 2009, na área encarregada por seguros, ele ganhou maior visibilidade na instituição. Nesse período, aproximadamente 30% de todo o lucro foi originado desse setor, algo que se reflete até os dias atuais.

Tão logo tornou-se presidente da instituição financeira, Luiz Carlos Trabuco Cappi inaugurou uma universidade voltada ao ambiente corporativo, de modo a procurar que os líderes renovassem seus conhecimentos. Assim sendo, ele objetivou a manutenção de um diálogo mais intenso com os executivos das várias áreas do banco e deu-lhes mais autonomia nas tomadas de decisões da companhia.

As promoções, entretanto, obedeciam a uma espécie de rito de passagem onde Luiz Carlos Trabuco Cappi fazia questão de reunir os executivos no espaço considerado mais solene da instituição, o Salão Nobre. Na ocasião da cerimônia realizada para promovê-los, o presidente esclarecia que esperava que cada um deles tivesse metas claras para serem ditas, além de um planejamento e algumas estratégias de ação. O executivo é reconhecido também pelo fato de buscar outros profissionais que ainda não trabalham na companhia.

O atual diretor-executivo da instituição, Renato Ejnisman, foi um desses profissionais que Luiz Carlos Trabuco Cappi encontrou trabalhando em outra empresa e resolveu trazê-lo para integrar o quadro da diretoria. O próprio presidente já foi convidado para assumir outros cargos de destaque, mas preferiu continuar sua trajetória profissional na companhia.