As famílias mais ricas do mudo pretende melhorar a economia do mundo

Algumas das famílias mais ricas do mundo se inscreveram em um grupo onde eles investirão partes de suas vastas fortunas de maneiras que melhoram a vida dos outros.

O grupo, que se chama The ImPact, tem muitos créditos bancários bilionários e é uma ideia de Justin Rockefeller e Josh Cohen, CIO de Tyden Ventures.

Os seus membros fundadores incluem Liesel Pritzker Simmons, uma herdeira da fortuna Hyatt Hotels, Jason Ingle, bisneto de Henry Ford e Jim Sorenson, filho do empresário James LeVoy Sorenson.

A ideia é semelhante ao The Giving Pledge de Bill Gates e Warren Buffett, que exige que os signatários cedam pelo menos metade de sua riqueza. Mas trata-se de investir para o bem. Com isso espera-se um impacto significativo na economia de vários países como os da Africa, e um grande impacto social em várias famílias.

“Nenhuma quantidade de filantropia ou ajuda externa vai resolver os problemas que o mundo enfrenta”, disse o CEO Abigail Noble. “Precisamos usar as empresas e os mercados de capitais para fazermos o máximo possível”.

Noble disse que está focada em trabalhar com as “famílias mais influentes do mundo”, e especialmente os membros da família mais jovens que querem adicionar impacto investindo no trabalho filantrópico, que seus pais e avós começaram.

A ImPact construiu uma rede global de 125 membros desde a sua fundação em 2015 e recentemente adicionou signatários do Brasil e da Coreia do Sul.

O pacto é um “compromisso moral”, mas não um documento juridicamente vinculativo. Não existe um nível mínimo de investimento, e a ImPact não revelou quanto foi investido.

A adesão é apenas por convite e Noble disse que a riqueza média das famílias é de aproximadamente 700 milhões de dólares.

O ImPact rastreia o desempenho financeiro e o impacto social dos investimentos de seus membros e compartilha a informação com a rede.

“As famílias não só podem ver seu próprio portfólio, mas também comparar seu portfólio com outras famílias e aprender e tomar decisões sobre como fazer mais investimentos de impacto de forma mais eficaz”, disse Noble.

O poder de uma rede

“Essa ideia de arregaçarmos as mangas e trabalharmos juntos, é ótima, mesmo que você não esteja investindo nas mesmas coisas que eu acredito ser bastante importante”, disse Jean Case, CEO da Case Foundation e co-fundador da ImPact.

Os membros mais jovens das famílias ricas estão se afastando dos métodos tradicionais de investimento, que incluem o uso de “escritórios familiares” para gerenciar carteiras.

“Eles rejeitam a maneira antiga de fazer as coisas, que é apenas um retorno financeiro, e vê quase uma maneira diferente de capitalismo em frente onde o capital privado é usado para o bem público”, disse Case.